Alimentos orgânicos apresentam maior valor nutritivo

Confira o estudo feito pelo Journal of Alternative and Complementary Medicine 

Fonte: Verde AgriTech

A qualidade nutricional dos alimentos é motivo de preocupação para muitos. Assim, uma parcela da população opta pelo consumo dos alimentos orgânicos. Para contabilizar o valor nutritivo dos alimentos, a pesquisadora Virginia Worthington escreveu o artigo "Nutritional Quality of Organic Versus Conventional Fruits, Vegetables, and Grains".[1] Publicado na revista norte-americana "Journal of Alternative and Complementary Medicine"[2], ela analisou diferentes estudos de qualidade nutricional e contabilizou os resultados.
Muito do valor atribuído aos orgânicos se deve à forma como é cultivado. O manejo do solo, sem uso de pesticidas e práticas de fertilização orgânicas são os principais métodos de cultivo. Nos Estados Unidos, essa prática era muito usada até antes da Segunda Guerra Mundial. Após isso, muitos produtores abriram mão da produção orgânica em favor de produzir em grande escala. Até 1995, mais de 45 milhões de toneladas de fertilizantes químicos foram utilizados na agricultura norte-americana.
Porém, há muito mais a ser analisado do que apenas a mudança do método de produção. Estudos ao longo do século XX tentaram responder se o tipo de produção, orgânica ou com fertilizantes químicos, afeta o conteúdo nutricional dos alimentos. Há vários fatores que devem que ser considerados, como a chuva e luz solar, e os métodos de cultivo.
Com isso em mente, Virginia fez comparações das culturas orgânicas com as convencionais em busca de resultados. Foram 41 estudos analisados, com dados sendo coletados ao longo de vários anos. Ela comparou dados de nutrientes disponíveis no alimento cultivado organicamente, e no cultivado de maneira tradicional. Mais especificamente, foram 12 nutrientes analisados: cálcio, magnésio, potássio, sódio, zinco, cobre, manganês, ferro, fósforo, vitamina C, betacaroteno e nitratos.
Desses, 4 nutrientes e 1 toxina apresentaram valores mais significativos que os demais. Estes são: vitamina C, ferro, magnésio, fósforo e nitratos. Para cada um dos nutrientes significativos, as culturas orgânicas apresentaram maiores valores em mais da metade dos itens avaliados. Já para o único composto tóxico (nitratos), as culturas orgânicas apresentaram níveis menores, comparando com as culturas tradicionais.
Por exemplo, a quantidade de vitamina C em frutas e vegetais orgânicos é até 27% maior do que em frutas e vegetais convencionais. Os níveis de ferro, magnésio e fósforo também apresentaram aumento considerável nas frutas e legumes.
Os valores positivos da agricultura orgânica estão diretamente relacionados à forma de cultivo. O cuidado com o solo, através do uso de rotação de culturas, implementação de culturas de cobertura, utilização de adubo verde a adição de compostos no solo são fatores que influenciam diretamente na preservação da matéria orgânica e mantêm o solo nutrido para as plantas. No entanto, a mão de obra e o alto custo de produção refletem no preço final elevado para o consumidor, tornando o alimento orgânico inacessível para muitas famílias.
O remineralizador K Forte é rico em nutrientes. Contém potássio, magnésio silício, e traços de outros 65 elementos. K Forte melhora o solo à medida que devolve os nutrientes ao meio, melhorando os aspectos químicos, físicos e biológicos do mesmo, permitindo assim um cultivo de alimentos mais nutritivos sem aumentar o custo do produtor. Devido ao produto ser rico em nutrientes, mesmo os alimentos do cultivo convencional serão beneficiados, aumentando o valor nutricional. Além disso, ao se utilizar o K Forte, o custo para produção de orgânicos não será onerado.
[1] Qualidade Nutricional de Orgânicos Versus Frutas, 
[2] Jornal de Medicina Alternativa e Complementar