Solo com teor ideal de matéria orgânica maximiza a produtividade

Fonte: Luis Roberto Toledo

O solo é a principal fonte de nutrientes da nossa produção. Ter um solo estruturado, fértil e com um bom teor de matéria orgânica pode garantir uma produção de qualidade e otimizar o potencial da cultura.

A estrutura ideal de um solo é a que:

  • apresenta profundidade para o armazenamento de água e crescimento das raízes;
  • tem suprimento adequado de nutrientes;
  • possui boa drenagem;
  • revela atividade biológica e tem um equilíbrio entre as partes mineral (45%), líquida (25%), gasosa (25%) e orgânica (5%).

Um solo que não possui organismos vivos perde sua estruturação, degrada e pode sofrer erosão, causando até desertificação.

A matéria orgânica do solo (MOS) é composta por restos de plantas, animais e microrganismos em diferentes estágios de decomposição. Todos os organismos que vivem no solo utilizam esses materiais como fonte de energia e nutrientes para o seu desenvolvimento. A atividade deles faz com que haja a ciclagem de nutrientes.

Manejo correto

Para que todos os benefícios da matéria orgânica do solo sejam garantidos às plantas, e para que não ocorra a desertificação, precisamos manejar corretamente esse importante recurso. O sistema de plantio, cultivo e manejo do solo estão diretamente ligados à degradação da matéria orgânica, bem como ao seu aumento e à sua conservação.

No sistema de plantio convencional, com sucessivas arações e gradagens, o revolvimento solo aumenta a taxa de decomposição da matéria orgânica, fazendo com que seja consumida mais rapidamente.

A utilização de culturas de cobertura, como a braquiária e a crotalária, por exemplo, ajudam na qualidade do solo. Além disso, melhoram a aeração entre os agregados de solo e a drenagem da água. As culturas de cobertura, ao final do seu ciclo, ficam no solo, fazendo com que haja uma decomposição mais lenta dos resíduos.

A adoção do Sistema de Plantio Direto (SPD), por exemplo, favorece o aumento e acúmulo de matéria orgânica do solo. As sucessões e rotações de culturas, por sua vez, intercalando a cultura principal com pastagens, também aumentam o suprimento de resíduos. Ademais, não deixar o solo no pousio, diversificar as espécies e intensificar os cultivos são práticas que devem ser adotadas.

De maneira geral, não há uma receita de bolo que garanta um manejo apropriado da matéria orgânica do solo. Contudo, realizando a integração do manejo correto com todos as outras práticas da cultura, promoveremos a qualidade do solo e maximizaremos a produtividade.